MMA lança Programa Nacional Lixão Zero
MMA lança Programa Nacional Lixão Zero

MMA abre consulta pública para alavancar a cadeia de reciclagem e reutilização de embalagens. A iniciativa visa fomentar a economia circular e a logística reversa de embalagens em geral e aumenta metas de reciclagem.

Com o intuito de reduzir resíduos e poluição, manter produtos e materiais em ciclos de uso e regenerar sistemas naturais promovendo a destinação final ambientalmente adequada das embalagens em geral de maneira efetiva, o Ministério do Meio Ambiente abre consulta pública, nesta quinta-feira (04). A minuta do Termo de Compromisso, que envolve seis grandes empresas, estará aberta para receber contribuições e sugestões até o dia 03 de julho no site do ministério.

A celebração de termo de compromisso de abrangência nacional vai estabelecer novas medidas, ações e iniciativas para ampliar o alcance da Política Nacional de Resíduos de Resíduos Sólidos e de proteção ambiental. O objetivo é estimular a não geração, a redução, a reutilização, a reciclagem e o tratamento das embalagens bem como o uso de produtos sustentáveis e o incentivo à indústria de reciclagem para fomentar a utilização de matérias-primas e insumos recicláveis e reciclados.

Cientes da sua responsabilidade social para o desenvolvimento sustentável, empresas como Ambev, Kaiser & HNK BR, Nestlé, Coca-Cola, Tetrapak e Unilever, que em 2018 colocaram no mercado cerca de 5 milhões de toneladas de embalagens, manifestaram voluntariamente interesse em firmar o compromisso com o Ministério do Meio Ambiente. O sucesso da iniciativa contará com atuação de todos, pois envolve desde fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, consumidores até cooperativas e associações de catadores na coleta e reciclagem de materiais reutilizáveis e recicláveis.

A meta é de que 100% das embalagens plásticas sejam desenvolvidas com materiais que permitam a reciclagem ou compostagem até 2025, hoje esse índice é de 80,4%. Além disso, prevê um aumento progressivo do uso de matéria-prima reciclada pós-consumo nas embalagens inseridas no mercado. O plástico salta de 7% para 23% e o vidro de 27% para 31%, em 5 anos.

E tem mais, a medida irá aumentar o uso de modelos alternativos de embalagens retornáveis plásticas ou refis, saindo do patamar de 9% para 25% e ainda avançar na reinserção do material descartado na cadeia produtiva, a chamada Logística Reversa. A taxa de reciclagem também terá aumento dos índices na indústria recicladora, de maneira progressiva, até 2025. Materiais de vidro sobem de 26% para 29%, de plástico de 34% para 38%, de papel de 60% para 62%. A reciclagem dos produtos de metal deve alcançar os 87%.

Com as medidas, o Ministério do Meio Ambiente pretende gerar um círculo virtuoso. Na medida em que se amplia o uso de produto reciclado em novas embalagens, a demanda pelo material pós-consumo aumenta e, consequentemente, fomenta a cadeia de reciclagem já que a oferta de matéria-prima será maior. Além disso, ao considerar as taxas de reciclagem no reciclador, indiretamente se influencia a formalização do mercado de reciclagem, com o incremento de renda de todos os participantes da cadeia que antecedem o reciclador.

O compromisso prevê também a implementação do projeto Conexão Circular MMA, que levará a 52 cidades brasileiras, ações da agenda de qualidade ambiental urbana para combate ao lixo no mar, gestão de resíduos e áreas verdes urbanas.

Para contribuir, acesse a Consulta Pública – Termo de Compromisso de Embalagens em Geral.

Fonte: Ministério Do Meio Ambiente – https://mma.gov.br/component/k2/item/15752-mma-abre-consulta-p%C3%BAblica-para-alavancar-a-cadeia-de-reciclagem-e-reutiliza%C3%A7%C3%A3o-de-embalagens.html

Veja também
Receba
nossas notícias
no seu e-mail
Se tem alguma
dúvida, entre em
contato conosco!
Lorem
ipsum norus
avtus epicus
norbet

Nostrud consequat nostrud dolor Excepteur irure. Dolore tempor et laboris Lorem deserunt. Magna incididunt ipsum quis. In pariatur ea nulla nostrud. Aute irure laborum velit minim. Occaecat dolore mollit in. Minim reprehenderit et irure. In aute qui ut. Nostrud consequat nostrud dolor Excepteur irure. Dolore tempor et laboris Lorem deserunt. Magna incididunt ipsum quis. In pariatur ea nulla nostrud. Aute irure laborum velit minim. Occaecat dolore mollit in. Minim reprehenderit et irure. In aute qui ut.