Embalagens longa vida
Embalagens longa vida
Guia da Reciclagem
Fique por dentro da reciclagem de resíduos

Sobre o material

A embalagem longa-vida, também chamada de cartonada ou multicamadas, é composta de camadas de papel, polietileno de baixa densidade e alumínio. Esses materiais em camadas criam uma barreira que impede a entrada de luz, ar, água, microorganismos e odores externos e, ao mesmo tempo, preserva o aroma dos alimentos dentro da embalagem.

Após o consumo, a embalagem deve ser encaminhada para os programas de coleta seletiva. Essas iniciativas estão em crescimento constante e são as grandes responsáveis pela separação dos diversos tipos de materiais recicláveis e encaminhamento das embalagens longa-vida para as indústrias recicladoras.

O mercado de reciclagem de embalagens cartonadas é muito grande, pois contribui para o crescimento do mercado de produtos como os fabricados a partir de papel reciclado da embalagem, de plástico e alumínio reciclado como vassouras, placas e telhas.

Informações sobre a reciclagem

42,7% foi o percentual de embalagens longa-vida recicladas no Brasil, em 2020.

No Brasil, é previsto um aumento constante da reciclagem dessas embalagens devido à expansão das iniciativas de coleta seletiva com organização de municípios, cooperativas e comunidade e ao desenvolvimento de novos processos tecnológicos.

O processo para reciclagem das embalagens cartonadas acontece em duas etapas. A primeira é a retirada do papel e posteriormente o processamento do polietileno/alumínio que pode ser reciclado de várias formas diferentes.

O processo de reciclagem inicia-se nas fábricas de papel, onde as embalagens são alimentadas a um equipamento semelhante a um liquidificador gigante, o “hidrapulper”. As fibras são agitadas com água e sem produtos químicos, hidratando-se e separando-se das camadas de plástico e alumínio. Após a separação, estas fibras celulósicas seguem para a máquina de papel. O produto final é o papel reciclado que pode ser usado para confecção de caixas de papelão.

Reciclagem do plástico e alumínio das embalagens longa-vida

1) Fabricação de placas e telhas: Uma possibilidade é a trituração das camadas de polietileno e alumínio, que são depois prensadas a altas temperaturas, produzindo chapas semelhantes à madeira, ideais para a produção de móveis e divisórias. Essas chapas podem ser transformadas também em telhas utilizadas na construção civil

2) Produção de “Pellets”: O composto de plástico com alumínio pode ser encaminhado para as indústrias de plástico, onde são reciclados por meio de um processo de extrusão para produção de “pellets”. Esses “pellets” são pequenos grãos de plástico e alumínio que podem ser utilizados como matéria-prima nos processos de fabricação de peças por injeção, rotomoldagem ou sopro. Os produtos finais são canetas, banquetas, vassouras, coletores e outros.

Acesse:

https://www.tetrapak.com/br/sustainability

Acontece CEMPRE
Sobre o
CEMPRE

O CEMPRE é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 1992, que trabalha para a promoção da reciclagem, da logística reversa e do conceito de responsabilidade compartilhada na gestão dos resíduos sólidos previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), atuando junto à iniciativa privada, ao setor público e à sociedade civil. Ao longo dos seus 28 anos de existência, o CEMPRE desenvolveu diversas publicações de apoio à educação ambiental para reciclagem, manuais para cooperativas de catadores e agentes públicos, e a tradicional Pesquisa Ciclosoft, que representa a maior base de dados sobre coleta seletiva do país.