CEMPRE INFORMA MAIS

Em Jaú, foco na educação ambiental aumenta reciclagem

Os alunos das escolas municipais e estaduais da cidade de Jaú, no interior de São Paulo, têm uma lição de casa a mais todos os dias: como parte essencial do modelo de coleta seletiva desenvolvido localmente, eles são verdadeiros embaixadores da reciclagem. Dentro do Projeto Reciclando Ideias, eles levam os recicláveis de suas casas para a escola, onde são coletados semanalmente pelo caminhão da Prefeitura e levados até a Associação Recicla Jaú.

O projeto, realizado em conjunto pela Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria de Educação, teve início em 2014. Os números refletem sua importância para o município: durante o recesso escolar na virada deste ano, a coleta chegou a cair 20 toneladas mensais. Com o crescimento retomado, o volume ultrapassou 50 toneladas em setembro e busca-se agora bater o recorde das 60 toneladas recolhidas em outubro do ano passado.

“A ideia é reduzir a quantidade de material reciclável encaminhada ao aterro sanitário, considerando que a maior parte desse conteúdo é reaproveitável de alguma forma e acaba tendo destinação inadequada”, destaca Elisio Eduardo Henriques Abussamra, secretário de Meio Ambiente. “O Projeto Reciclando Ideias supre, de certa forma, a lacuna deixada pela coleta seletiva doméstica que ainda não atinge toda a cidade.”

Hoje, o sistema porta a porta cobre cerca de 35% dos bairros, em visitas semanais, anunciadas por um sistema de som instalado no caminhão especial que opera a coleta. Em 2014, todo o modelo foi revisto, com a reestruturação da Recicla Jaú que ganhou uma nova sede, cedida pela Prefeitura. O poder público disponibiliza também alimentação para os 13 cooperados da Recicla Jaú, responsáveis pela triagem e venda dos materiais recolhidos.

Segundo o secretário, desde a criação da primeira associação em 1997, é feito um trabalho intenso de educação ambiental no município. “O retorno e o comprometimento da população com a questão da reciclagem têm sido sempre muito positivos. Para manter a chama acesa, resolvemos investir na formação e sensibilização das crianças. Semestralmente, educadores ambientais da Secretaria de Meio Ambiente vão às escolas, onde realizam palestras para os alunos, demonstrando a importância da participação de cada um e de todos para ampliar a coleta. Acreditamos que o futuro está dentro das escolas, pois os estudantes replicam as informações que recebem em suas casas e na sua comunidade, multiplicando o alcance do tema.”

Existe também um acompanhamento contínuo do desempenho das escolas. Se o volume coletado diminui, é feito um trabalho específico, incluindo diretores e professores, para reverter o quadro e incrementar a participação dos alunos. “Nossa próxima meta é estabelecer a logística reversa em supermercados e lojas de materiais de construção, onde há uma geração grande de recicláveis que deve seguir para a cooperativa e não para o aterro”, planeja Abussamra.

Para saber mais: http://www.jau.sp.gov.br/