CEMPRE INFORMA MAIS

Abrafati ganha Prêmio Top Anamaco de Sustentabilidade

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) recebeu, no dia 8 de abril, em São Paulo, o Prêmio Top Anamaco, na categoria Sustentabilidade. Entregue pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), a premiação visa destacar soluções diferenciadas desenvolvidas pelo segmento, em cerca de quinze categorias.

A Abrafati foi reconhecida por sua contribuição para o reaproveitamento de embalagens PET pós-consumo na produção de tintas. Cerca de 120 milhões de embalagens PET são utilizadas anualmente para essa finalidade, representando, ao mesmo tempo, uma solução tecnicamente adequada e uma importante contribuição para a sustentabilidade. “Elas entram como componente das resinas que serão aplicadas no processo de produção de tintas à base de solvente. Com a despolimerização do PET (Poli Tereftalato de Etileno), obtêm-se ácido tereftálico e etileno glicol, compostos químicos que substituem parte do pentaeritrol e do ácido ftálico tradicionalmente utilizados na fabricação dessas tintas”, explica Gisele Bonfim, gerente técnica e de Assuntos Ambientais da Abrafati.

Nesse processo, reduz-se o consumo de nafta, produto derivado do petróleo que é a base das matérias-primas substituídas (pentaeritrol e do ácido ftálico) pelas resinas originadas de PET. A substituição teve início há pouco mais de dez anos e se expandiu com a maior disponibilidade de embalagens PET, cuja presença cresceu muito no Brasil para acondicionar itens como bebidas, óleos comestíveis, cosméticos, medicamentos e produtos de limpeza, entre outros. “Até onde sabemos, este é um desenvolvimento exclusivamente brasileiro. Não temos notícia de aproveitamento do PET na produção de tintas em outros países”, destaca Gisele.

O uso do PET abre oportunidades para que os catadores de materiais recicláveis possam ter melhores condições de vida, trabalho e renda. Para completar, a prática contribui para que o setor de PET cumpra as metas estabelecidas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. Hoje, a indústria de tinta absorve 10% de todas as garrafas PET pós-consumo do país. Cada fabricante determina sua própria estratégia para obter as embalagens, sendo, em geral, estabelecidas parcerias com empresas recicladoras para a compra do PET triturado. A maior parte da produção de tintas está concentrada no estado de São Paulo e nas regiões Sul e Nordeste, mas existem fábricas espalhadas por vários pontos do país. “Nem todos os fabricantes utilizam as resinas PET, mesmo porque elas só podem ser empregadas na produção de tintas à base de solvente que representam cerca de 13% do total de tintas imobiliárias no Brasil”, comenta a gerente técnica da Abrafati. Com isso, atualmente são usadas na produção de tintas quase 7 mil toneladas de resinas originadas de garrafas PET.

Foto: Divulgação Anamaco

Para saber mais: http://www.abrafati.com.br/