CEMPRE INFORMA Número 152 Março/Abril

Mercados e Recados

Vigor investe no fortalecimento das cooperativas

Em dezembro de 2013, a Vigor iniciou uma parceria com o Cempre para contribuir com o desenvolvimento de cooperativas de catadores. Desde então, sete cooperativas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais receberam investimentos da empresa para capacitação técnica e administrativa, doação de equipamentos, infraestrutura mecânica, elétrica e civil. “Nosso objetivo é interligar três pilares - social, ambiental e econômico - a fim de incrementar a produtividade dessas associações, melhorar sua gestão e adequar seu funcionamento às normas de segurança do trabalho, saúde ocupacional e segurança alimentar”, explica Adriano Luiz Ferriani Júnior, coordenador corporativo de Sustentabilidade.

“A Vigor atua de forma sustentável desde a origem da matéria-prima, abrangendo todos os elos de sua cadeia, e apoiar as cooperativas está dentro desse princípio", comenta Adriano. O respaldo às cooperativas está em linha com outras iniciativas da empresa como o “Projeto Escola” que, sediado em São Paulo (SP), recebe há mais de 30 anos estabelecimentos de ensino públicos e privados para conhecer a origem dos laticínios da Vigor, aprender mais sobre consumo saudável, coleta seletiva e uso racional dos recursos naturais. Outro exemplo é a instalação de centrais, em todas as fábricas, para recebimento e segregação de resíduos encaminhados para reciclagem. Além disso, a Vigor fomenta campanhas de educação e conscientização ambiental por meio da participação no programa “Palco da Reciclagem”, em parceria com a Tetra Pak.

Para a Vigor, os catadores têm papel essencial na elevação do coeficiente de reciclagem do país. “Nosso projeto com o Cempre consiste na efetivação da cadeia da reciclagem por meio de um trabalho conjunto entre catadores, prefeituras e empresas apoiadoras. A profissionalização das cooperativas é necessária para aumentarmos a capacidade de triagem dos materiais, resultando em ganhos ambientais, econômicos e sociais. Desse modo, as embalagens não são descartadas de forma inadequada, deixando de gerar poluição do ar, água e solo, e passam a ser reaproveitadas, reduzindo o uso desordenado de recursos naturais”, destaca o coordenador de Sustentabilidade. “Entendemos que, no futuro, as cooperativas deverão ser profissionalizadas a ponto de se transformarem em recicladoras, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos catadores e a diminuição da desigualdade social.”

Na Cruma

Em janeiro de 2016, um incêndio destruiu todo o galpão de triagem e armazenamento e os equipamentos (4 prensas, esteira, 3 caminhões, balança e empilhadeira) da Cooperativa de Reciclagem Unidos pelo Meio Ambiente/Cruma, de Poá (SP). Sensibilizada com a situação, a Vigor fez a doação do projeto elétrico, execução e reestruturação civil do galpão, com adequação às normas de combate a incêndio. Hoje, a entidade conta com 25 cooperados (eram 45 antes do incêndio) e recolhe cerca de 30 toneladas/mês, o que representa um terço do volume anterior. “Se não fosse a ajuda do Cempre e de empresas como a Vigor, não teríamos condições de nos reerguer. Acredito que, em seis meses, já estaremos operando normalmente”, planeja Wilson “Kula” Secario, presidente da Cruma.

Na CoopGaleão

“Foi na Expocatadores de 2015 que tive o primeiro contato com o Cempre. Visitando o estande, falei da nossa cooperativa e que precisava muito de ajuda. Após a visita da equipe do Cempre, conseguimos um patrocínio que tem sido nossa âncora até agora”, conta Luiz Antonio do Couto, presidente da CoopGaleão, do Rio de Janeiro (RJ). A Vigor doou a cobertura do galpão antes sem teto. “Além do apoio para nossa infraestrutura, recebemos também suporte técnico. A obra já foi concluída, estamos funcionando a todo vapor e conseguimos ampliar nosso galpão. Hoje, nossa capacidade é de 60 toneladas por mês”, comemora.

Para saber mais: http://www.vigor.com.br/